Passos Coelho reúne-se hoje com parceiros sociais

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho reúne-se esta quarta-feira com os parceiros sociais para discutir, de uma forma inédita, na Comissão Permanente da Concertação Social, a proposta de Orçamento do Estado para 2014.

De acordo com a informação divulgada no 'site' do Conselho Económico e Social (CES), a reunião decorrerá a partir das 10:15, em Lisboa.

"Será uma reunião inédita, nunca aconteceu, normalmente o Conselho Económico e Social dá um parecer, que já foi feito, mas não tenho ideia de alguma vez o primeiro-ministro ter-se deslocado ao conselho permanente para discutir o Orçamento do Estado. Essa reunião é feita por iniciativa do próprio primeiro-ministro", disse o presidente do CES, Silva Peneda, na segunda-feira no final de uma audição parlamentar.

O responsável anunciou a realização desta reunião no sábado, à margem do Congresso para o Crescimento Sustentável, que decorreu no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) mostrando-se "muito satisfeito" com o facto.

"Se o primeiro-ministro [Passos Coelho] quer fazer uma reunião e quer estar presente, seguramente está sensível ao motivo das solicitações quem têm sido feitas e quer discutir olhos nos olhos", sustentou na ocasião.

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, por sua vez, desvalorizou desde logo a deslocação do primeiro-ministro ao Conselho Permanente de Concertação Social para discutir o Orçamento do Estado para 2014 (OE2014) e insistiu que a CGTP vai à reunião "apenas" para apresentar as suas propostas.

"O Governo quer dar a ideia que quer negociar com os parceiros sociais, mas na verdade só impõe as suas propostas. Se quer negociar retire as suas propostas", disse o líder da central sindical, reagindo ao anuncio feito.

Sensivelmente à mesma hora da reunião entre os parceiros sociais e Passos Coelho, a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque estará presente na Comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública, naquela que será a última audição no âmbito da apreciação na especialidade do Orçamento do Estado para 2014.

Mais Notícias