"O TC não é o culpado pelo enorme aumento de impostos"

O líder parlamentar do CDS-PP não responsabiliza o Tribunal Constitucional por o Governo ter iniciado o caminho de corte na receita em vez de na despesa por ter existido um desvio do plano inicial da coligação PSD-CDS.

"Não é o Tribunal Constitucional que é o culpado. Mesmo aquelas medidas que eu considero um erro, como a questão do enorme aumento de impostos, têm que por justiça, se quiser histórica, reconhecer que não foram as primeiras opções do Governo!" Refere ainda que o gigantesco aumento de impostos realizado nesta legislatura "foi um enorme erro".

O advogado e deputado Nuno Magalhães considera que este Governo é o que tem "menor autonomia da democracia". Daí que considere que o CDS seja obrigado a " fazer compromissos em relação ao que foi o seu programa eleitoral". O que, no seu entender, "também significa, da parte do CDS, fazer compromissos em relação ao que foi o seu programa eleitoral. A linha vermelha é uma afirmação política sobre as cedências que, em nome do interesse nacional, fomos obrigados a fazer."

Quanto ao congresso partidário em curso neste fim de semana, o líder parlamentar defende a continuação por vários mandatos da liderança de Paulo Portas e considera que o dirigente não impede o debate democrático no inetriort do CDS-PP.

Leia esta entrevista na edição em papel e e-paper do DN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG