"Nenhum processo" teve tantos créditos por equivalência

Manuel Damásio, administrador da Universidade Lusófona, disse ontem à noite, à TVI, que "nenhum processo" teve tantos créditos concedidos por via da experiência profissional como o do ministro Miguel Relvas, considerando que se trata de "um currículo muito rico".

Em entrevista à TVI, Manuel Damásio afirmou que desde 2006, altura em que entrou em vigor a reforma de Bolonha, a Universidade Lusófona avaliou 89 processos de alunos que pediram equivalências de créditos invocando a sua experiência profissional e pessoal.

"Cada processo é único. É evidente que não há nenhum [processo] que tenha de memória que tenha tido este número de créditos, pode ter sido aproximado. Normalmente são menos [créditos]. Mas o currículo do doutor Miguel Relvas não é um currículo qualquer", afirmou o administrador da Lusófona.

Manuel Damásio acrescentou que está em causa um currículo "mais rico em experiência profissional, inclusivamente de produção de textos legislativos como secretário de Estado ou como ministro".

A Universidade Lusófona considerou que a experiência profissional de Miguel Relvas equivalia a 160 dos 180 créditos totais da licenciatura de Ciências Políticas e Relações Internacionais, curso que o ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares concluiu ano letivo 2006/2007.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG