Namíbia, Turquia, Japão e Geórgia observadores da CPLP

O Conselho de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) recomenda a admissão da Namíbia, Turquia, Geórgia e Japão como observadores associados da organização.

"O Conselho de Ministro fez uma recomendação para a conferência de chefes de Estado e de Governo para admitir como observadores associados a Namíbia, Turquia, a Geórgia e o Japão", afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros de Timor-Leste, José Luís Guterres.

O ministro falava em Díli numa conferência após a XIX reunião do Conselho de Ministros, que antecede a cimeira de chefes de Estado e de Governo, que se realiza quarta-feira. "Também recomendamos que algumas organizações da sociedade civil e académicas serem observadores consultivos", afirmou.

O Conselho de Ministros recomendou a admissão como observadores consultivos da Associação de Reguladores de Comunicação e Telecomunicações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, da Associação de Supervisores de Seguros Lusófonos e do "IusGentiumConimbrigae/Centro de Direitos Humanos".

O Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, o Instituto Superior de Estudos de Defesa "Tenente-General Armando Emílio Guebuza e a União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa, foram outras instituições recomendadas para serem admitidas como observadores consultivos.

Timor-Leste assume na quarta-feira a presidência da CPLP durante a cimeira de chefes de Estado e de Governo da organização, que vai ficar marcada pelo regresso da Guiné-Bissau à organização depois de suspensão devido ao golpe de Estado de 2012 e pela possível entrada da Guiné Equatorial.

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Portugal e Timor-Leste são os Estados-membros da organização.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG