Moreira da Silva diz que terá funções de engenharia

Miguel Moreira da Silva rejeitou hoje as acusações do PS segundo as quais iria exercer funções na direção da REN.

Numa nota enviada às redações, Moreira da Silva "repudia" e "lamenta" as declarações proferidas hoje pelo deputado socialista José Junqueiro, que acusa de estar a abordar as atividades que virá a desempenhar na REN -- Redes Energéticas Nacionais "numa lógica de combate político e partidário".

"Ao contrário do que foi referido pelo dirigente político em questão, não desempenho na REN nenhuma função de administração nem de direção. Desempenho uma atividade de engenharia, tal como centenas de colaboradores da REN", esclarece Moreira da Silva.

Refere ainda que a função que desempenha na REN "é semelhante a outras atividades profissionais" que já exerceu no passado na indústria da energia.

Na nota de esclarecimento, Moreira da Silva menciona também ter sido requisitado em 22 de junho de 2011 pelo Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território, à empresa ITRON, para exercer funções de adjunto, no gabinete da ministra, Assunção Cristas, função que cessou oito meses depois "para prosseguir os trabalhos do doutoramento iniciado em 2008".

"Foi no decurso da atividade de investigação e engenharia de sistemas de energia e redes inteligentes, que a REN me contactou, para exercer funções de cariz técnico, na área da investigação e desenvolvimento", conclui Moreira da Silva.

Esta manhã, o PS contestou a nomeação de José Luís Arnault para o cargo de membro não executivo do conselho de administração da REN -- Redes Energéticas Nacionais e exige ao Governo que explique no Parlamento o processo de privatização da empresa.

"Já entregámos o pedido de apreciação parlamentar para discutir no Parlamento com o Governo este processo de privatização da REN que, no nosso entender, é o extremo de uma ilegalidade formal e de uma ilegalidade material", disse à Lusa o deputado socialista José Junqueiro.

O PS acusa o Executivo de fomentar "um dos maiores exercícios de promiscuidade entre a política e os negócios, conformando a negociação em si uma ilegalidade" e contesta igualmente a nomeação de Miguel Moreira da Silva, do CDS.

A REN anunciou na sexta-feira a nomeação de José Luís Arnault para o cargo de membro não executivo do conselho de administração, na sequência da renúncia apresentada pelo gestor Luís Palha da Silva.

A 29 maio, o ex-presidente executivo da Jerónimo Martins, Luís Palha da Silva, renunciou ao exercício do cargo de vogal do conselho de administração da REN.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG