Marisa Matias defende apoio a doentes com alzheimer

Na visita a um centro de apoio a doentes com alzhemeir, a cabeça de lista do Blobo de Esquerda às europeias contou com a presença, pela primeira vez na campanha, do seu número dois João Lavinha.

O centro de apoio a doentes com alzheimer dr. Carlos Garcia, em lisboa, não é um sítio estranho para Marisa Matias. Passou várias horas aqui quando estava a preparar o relatório para a estratégia europeia para a doença do alzheimer, do qual foi a relatora.

A candidata do Bloco de Esquerda (BE) espera que as recomendações que foram feitas "sejam seguidas por todos os países em particular por Portugal" onde considera "muito urgente um plano nacional" de apoio a estes doentes e aos seus familiares que são os cuidadores.

"Existem cerca de 153 mil portugueses diagnosticados com alzheimer e apenas três centros de dia especializados, como este que visitamos, como capacidade, cada um, para cerca de 15 doentes. Estamos a falar de 45 doentes num universo de 153 mil, com respetivas famílias". Marisa Matias não tem dúvida que é em matérias como esta, que tanto afecta o tecido social " que Portugal devia ser 'bom aluno'" da Europa e aplicar "urgentemente" as recomendações da estratégia europeia, como em criar uma rede especializada de centros de dia, através da aprovação de um plan nacional.

A cabeça de lista do Bloco contou hoje, pela primeira vez na caravana eleitoral com João Lavinha, o seu número dois da lista. Lavinga é investigador na área da biologia molecular humana e ex diretor do Instituto Ricardo Jorge. Explicou a sua ausência com o facto de ter "andado em campanha noutras zonas do país a ouvir as preocupações de varios setores", acrescentando que "banhos de multidão são para os artistas".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG