Marcelo: "Temos de estar preparados para um confinamento mais longo do que se esperava"

Presidente da República afirmou que "joga-se tudo nas próximas semanas".

O Presidente da República afirmou esta quinta-feira que "vivemos o período mais duro da pandemia" e que "temos de estar preparados para períodos de confinamento e suspensão do ensino presencial mais longos do que o que se esperava".

"Não vale a pena fazer de conta. O que fizermos até março determinará a primavera, o verão e talvez o outono. Joga-se tudo nas próximas semanas, até março. Será que ainda vamos a tempo! Claro que vamos a tempo. Temos de fazer todos mais e melhor", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

Em declaração ao País, às 20.00, Marcelo começou por dizer que "temos dos mais elevados números da Europa. A variante inglesa emergiu e já é responsável por 50% dos casos em zonas como a Grande Lisboa", lembrou.

A esperança, segundo o Presidente, é que uma vez que esta vaga tenha surgio de ocidente, Portugal tenha sido dos primeiros países atingidos. "Se Portugal foi agora um dos primeiros e não dos últimos a ser afetado pela pandemia, há que agir rapidamente", afirmou.

Assim, Marcelo aponta o mesmo caminho: "Temos de ser mais estritos, rigorosos e firmes no que fizermos e não fizermos. Temos de ficar em casa e sair só quando imprescindível. É preciso agir depressa e drasticamente".

Foi uma curta declaração, já tradicional após a renovação do estado de emergência, que aconteceu hoje, e durará até 14 de fevereiro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG