Marcelo: "É importante a liberdade de imprensa num Estado de direito"

No segundo e último dia de visita à Guiné Bissau, Marcelo Rebelo de Sousa visitou as novas instalações da RTP África.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, realçou esta terça-feira em Bissau a importância da liberdade de imprensa num Estado de direito democrático, durante uma visita às novas instalações da RTP África.

O chefe de Estado português chegou ao local ao fim da manhã, no seu segundo e último dia de visita oficial à Guiné-Bissau, depois de ter depositado coroas de flores nos túmulos de Amílcar Cabral e João Bernardo "Nino" Vieira, em homenagem aos heróis da libertação.

"É muito importante a liberdade de imprensa, num Estado de direito democrático", disse Marcelo nas instalações da televisão.

O ponto seguinte do seu programa é um encontro com o Presidente da República da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, no Palácio da Presidência, em Bissau, seguindo de declarações à imprensa e de um almoço.

À tarde, terá reuniões na Assembleia Nacional Popular e com o primeiro-ministro guineense, Nuno Gomes Nabiam.

Na segunda-feira à noite, perante representantes da comunidade portuguesa na Guiné-Bissau, Marcelo Rebelo de Sousa disse desejar que os seus contactos institucionais durante esta visita decorram num clima "o mais plural possível".

"Nós, portugueses, somos plurais. Isso explica por que razão eu fiz questão de aparecer pessoalmente a uma reunião em Belém em que eram recebidos manifestantes reticentes quanto à minha vinda, para lhes explicar muito fraternalmente a razão de ser dessa visita", referiu, observando: "E penso que fiz bem".

Por outro lado, o Presidente português defendeu que "há um mundo de coisas a fazer" na cooperação entre Portugal e a Guiné-Bissau, que devem ser entendidas "para além das circunstâncias de cada instante" e dos protagonistas políticos.

"A nossa relação, a nossa amizade, a nossa cumplicidade, a nossa fraternidade é duradoura, não depende de quem é o Presidente português ou o Presidente guineense, de quem é o Governo português ou o Governo guineense, de quem é quem em cada momento histórico", argumentou.

O último Presidente português a realizar uma visita oficial à Guiné-Bissau tinha sido Mário Soares, em 1989, há 31 anos e seis meses.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG