Louçã: Catroga foi o "último" a reconhecer que "Governo está a assaltar-nos"

O dirigente bloquista Francisco Louçã afirmou hoje, nos Açores, que Eduardo Catroga foi o "último" a reconhecer que o "Governo está a assaltar" o país, com o aumento dos impostos e diminuição de salário.

"Catroga é o último a reconhecer aquilo que todos os portugueses já sabem: o governo está a assaltar-nos", afirmou Francisco Louçã em Rabo de Peixe, ilha de São Miguel, à margem de uma ação de campanha para as eleições regionais açorianas de 14 de outubro.

Em entrevista à TSF e ao suplemento Dinheiro Vivo, Eduardo Catroga considerou que o Governo cometeu um "erro político enorme" ao não informar os portugueses sobre "a verdadeira dívida pública e o verdadeiro défice público" do país.

Para Louçã, as sucessivas declarações de "um dirigente do PSD ou de uma personalidade laranja que foge do Governo como o diabo da cruz" constituem "um sinal de crise política, um sinal de desagregação" do Governo, que se tem furtado ao debate político.

"Passos Coelho prefere a Eslováquia e Malta e só foi ao parlamento falar do colossal aumento de impostos porque o Bloco de Esquerda lá tinha uma moção de censura", acusou Louçã.

"Não podemos aceitar, nos Açores como no continente, o enorme aumento de impostos que o PS negociou com a troika há um ano atrás e que o PSD e o CDS estão a multiplicar de todas as formas inimagináveis", acrescentou o dirigente bloquista.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG