"Libertar recursos para fazer investimentos", diz Assis

Cabeça de lista socialista defendeu uma aplicação do tratado orçamental que não seja rígida. Numa noite em que ouviu Almeida Santos recordar sobre si que o "menino ia longe".

O candidato do PS, Francisco Assis, defendeu esta terça-feira à noite, num jantar que juntou mais de 500 pessoas nos arredores da Guarda, que os socialistas defendem uma "interpretação" menos rígida do tratado orçamental para Portugal.

"Somos a favor do tratado orçamental mas queremos naturalmente participar ativamente no processo de aplicação do tratado orçamental, porque ele pode ser aplicado de muitas maneiras", apontou, antes de as enunciar. "Pode ser aplicado de acordo com uma interpretação rígida, que seria trágica para Portugal, ou de acordo com uma interpretação adequada e correta que permitirá ao país libertar recursos para continuar a fazer investimentos que são fundamentais", insistiu o candidato.

Assis tem defendido que o "crescimento da economia" e a "criação de emprego" são vitais para também fazer crescer o investimento. Sem "demonizar" o investimento público, apontou, num tópico já recorrente na sua campanha.

Outro tópico repetido ao longo do dia pelos distritos de Castelo Branco e da Guarda foi o de recusar festejos no dia 17, com a anunciada saída da troika. O socialista não vê motivos para festejar quando o país "está pior". E mesmo na noite eleitoral de 25, se acontecer uma vitória do PS, como espera, Assis quer moderação. "Vamos festejar com moderação, os tempos não estão para grandes festejos", disse. E, "no dia 26", os socialistas começarão a construir a vitória nas legislativas. "Vamos mudar a Europa para depois mudar o País."

Quem falou antes foi Almeida Santos, presidente honorário do PS, que recordou um encontro com Francisco Assis, então um jovem no último ano de Filosofia, em Amarante, em que o ouviu falar. E dele disse: "O menino vai longe. E o menino foi longe, porque logo a seguir estava a ser eleito presidente da Câmara de Amarante", atirou Almeida Santos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG