João Rendeiro vai a julgamento

Juiz Carlos Alexandre pronunciou os arguidos da primeira acusação relacionada com o Banco Privado Português

João Rendeiro, antigo presidente do Banco Privado Português, e os ex-administradores Fezas Vital e Paulo Guichard vão ser julgados por um crime de burla qualificada em co-autoria. A decisão de pronunciar os arguidos acusados pelo Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa foi tomada hoje pelo juiz de instrução Carlos Alexandre.

De acordo com a acusação do Ministério Público, os três ex-administradores da instituição liderada por João Rendeiro são acusados da "prática de um crime de burla qualificada, em co-autoria". Os factos estão relacionados "com uma operação de aumento de capital, realizada no veículo de investimento Privado Financeiras", em 2008. Em causa estão "prejuízos para cerca de uma centena de ofendidos, prejuízos até agora contabilizados em valor aproximado a 41 milhões de euros." A sociedade veículo foi constituída por João Rendeiro para comprar acções do BCP para entrar na luta de poder pelo controlo da instituição durante a guerra de poder que dividiu a gestão e os accionistas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG