João Rendeiro acusado por mais sete crimes

Antigo presidente do BPP foi novamente acusado pelo Ministério Pública. Desta vez, estão em causas crimes de falsidade informática e falsificação de documento

O antigo presidente do Banco Privado Português (BPP), João Rendeiro, foi acusado esta sexta-feira pelo Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa por seis crimes de falsidade informática e um crime de falsificação de documento. Além de Rendeiro, o Ministério Público acusou ainda os ex-gestores do Banco Salvador Fezas Vital e Paulo Guichard e mais dois antigos quadros do BPP, Fernando Lima e Paulo Lopes.

Em causa estão procedimentos internos no BPP que terão ocultado das contas do banco avultados prejuízos. Uma situação que também foi alvo de um processo de contra-ordenação do Banco de Portugal e cujo processo está a ser julgado no Tribunal da Concorrência e Supervisão, em Santarém.

Ao mesmo tempo, João Rendeiro, Salvador Fezas Vital e Paulo Guichard estão a ser julgados nas Varas Criminais de Lisboa por suspeitas de burla qualificada aos antigos clientes da Privado Holding.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG