Jerónimo de Sousa pergunta "quando é que isto acaba"

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou hoje que o país "está a afundar-se" com a política do Governo e perguntou "quando é que isto acaba", defendendo mais uma vez a demissão do Executivo.

"A questão de fundo é esta, quando é que isto acaba? Até quando é que vai conduzir o país para o desastre? Já não há desculpas esfarrapadas, já não há declarações e verbalismo que esconda esta realidade, o nosso país está de facto a afundar-se com esta política", afirmou Jerónimo de Sousa.

O secretário-geral do PCP comentava os números hoje divulgados pelo INE que revelam que a economia portuguesa recuou 3,2 por cento em 2012, um valor mais negativo do que o previsto pelo Governo e pela `troika" na sexta revisão do programa, que apontava para uma queda de 3 por cento para a totalidade do ano.

Segundo o INE, na primeira estimativa para o PIB do quarto trimestre de 2012, o produto terá caído 1,8% face ao terceiro trimestre de 2012, a maior queda em cadeia do ano.

Em declarações aos jornalistas na sede do PCP, Lisboa, Jerónimo de Sousa destacou a queda das exportações, frisando que o Governo tinha anunciado uma "perspetiva totalmente diferente".

Os números mostram "o falhanço das perspetivas" do Governo, defendeu o secretário-geral comunista, considerando que, se a atual política "não for interrompida", Portugal "corre o risco de caminhar para o precipício".

"Estamos a falar da vida das pessoas, de 50 por cento de jovens desempregados, de um país que exporta menos, que está a empobrecer sem saída. A ideia que temos é que caso este Governo continue, ficaremos depois pior do que o que estamos", disse.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG