"Havia uma alternativa ao pedido de ajuda externa"

Ex-primeiro ministro diz que, juntamente com Teixeira dos Santos, conseguiu apoio da chanceler alemã Angela Merkel ao PEC IV

O ex-primeiro ministro, José Sócrates, contou hoje, no seu habitual comentário dominical na RTP, que em 2011 tinha conseguido o apoio da chanceler alemã, Angel Merkel, do Conselho Europeu, Comissão e Banco Central Europeu ao PEC IV. E que, se tal documento tivesse sido aprovado em Portugal, o País não necessitaria de ajuda externa.

"Eu e Teixeira dos Santos tínhamos o apoio explícito da chanceler alemã. O Conselho, a Comissão e o Banco Central Europeu assinaram o documentos. Quem o chumbou tinha o dever moral de acreditar", declarou José Sócrates, dando como exemplo o caso de Espanha que, apesar da crise financeira, conseguiu evitar um pedido de ajuda externa

O agora comentador da RTP referiu-se ainda aos números das execução orçamental do primeiro trimestre, que apontam um défice de 8,8% ou 10,6% (com a inclusão do dinheiro canalizado para a capitalização do Banif), considerando que o Presidente da República, Cavaco Silva, foi "longe de mais" ao considerar que a "ajuda" ao Banif não deveria ser contabilizada. "O Presidente passou da cooperação para a protecção institucional", disse José Sócrates.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG