Governo "deixou de governar" para fazer oposição partidária

O líder parlamentar do PS, Carlos Zorrinho, acusou hoje o Governo de ter deixado "de governar" o país, apontando como exemplo o "comportamento inaceitável" de três ministros que "aproveitaram missões oficiais para fazer oposição" aos socialistas.

"O Governo tem governado mal. No último ano, 190.000 portugueses perderam o seu emprego", ou seja, "mais de 500 por dia", criticou.

Mas, agora, frisou Zorrinho em Évora, "o Governo não só tem governado mal como deixou mesmo de governar".

O líder parlamentar do PS falava aos jornalistas na sede da Federação Distrital de Évora do PS, onde fez uma declaração política com críticas ao Governo de coligação PSD/CDS.

Carlos Zorrinho aludiu diretamente aos ministros da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, da Administração Interna, Miguel Macedo, e da Defesa Nacional, José Pedro Aguiar-Branco.

"Ao longo do dia de hoje", afirmou o dirigente socialista, estes três ministros "aproveitaram missões oficiais para fazer oposição ao PS".

"Esse comportamento, do nosso ponto de vista, é inaceitável", argumentou o líder parlamentar socialista, assegurando que "o desespero não justifica tudo e o país não aguenta mais tempo com um Governo sem rumo".

O ministro da Defesa Nacional visitou hoje, no Funchal, as instalações do Regimento de Guarnição nº3, tendo afirmado que o PS, ao decidir votar contra o Orçamento do Estado, demonstra que "desistiu do país" e está "virado para dentro".

Já o ministro da Administração Interna, que esteve presente na cerimónia do Dia do Município de Alcoutim, disse que a política em Portugal vive, em alguns aspetos, uma "situação que raia a esquizofrenia", com alguns responsáveis pelas dificuldades financeiras a "explicar como se deve governar".

Em Santarém, no encerramento de uma conferência o ministro da Economia e do Emprego também desafiou hoje a oposição a dizer "qual é a alternativa" à política que está a ser seguida pelo Governo.

O PS, contrapôs Carlos Zorrinho, exige "ao Governo que governe e que seja responsável".

O líder da bancada parlamentar do PS insistiu que os três governantes usaram "as suas atividades políticas normais" para fazer apenas oposição ao PS, "não para propor soluções ao país".

"Em vez de proporem soluções, atacam o PS e, portanto, desistem de exercer a função para que foram mandatados, que é a função de governar", acusou.

No que toca ao país, a "saída" desta situação é "um outro caminho", que o PS tem vindo a propor, realçou.

"Com esta política da austeridade em cima da austeridade, com esta receita, com este 'jogo de casino' em que se duplica as receitas que falharam' já sabemos que não vamos a lado nenhum", afirmou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG