Governo anuncia requisição civil à greve de inspetores no SEF

Em causa estão as greves anunciadas para o verão. Eduardo Cabrita justifica a decisão como sendo uma preocupação de "segurança nacional".

O Governo decidiu esta quinta-feira decretar requisição civil dos inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) nos aeroportos na sequência da greve marcada para junho por um dos sindicatos do SEF.

"O Conselho de Ministros de hoje decidiu proceder à requisição civil dos trabalhadores da área da investigação e fiscalização do SEF nos aeroportos", disse Eduardo Cabrita no Parlamento durante o debate sobre a reestruturação do SEF marcado a propósito de um projeto de resolução do CDS-PP.

O ministro avançou que a requisição civil já tinha sido solicitada pelo Governo Regional da Madeira e pela generalidade de autarcas de áreas turísticas "como preocupação de segurança nacional".

O Sindicato dos Inspetores de Investigação, Fiscalização e Fronteira do SEF marcou um ciclo de greves para junho, com início da próxima semana contra a intenção do Governo "de extinguir o SEF".

Eduardo Cabrita considerou "absolutamente inaceitável e irresponsável a greve" que está anunciada por um dos sindicatos do SEF.

"A greve é um grave atentado à segurança nacional, é inaddmissível num quadro de uma situação de calamidade em que cabe também ao SEF verificar as condições de segurança sanitária, designadamente se os cidadãos que chegam a Portugal têm ou não os testes de diagnósticos de covid-19", sublinhou.

Para o ministro, a greve "é algo que atenta também à expectativa de recuperação da economia nacional".

O primeiro-ministro António Costa também já se pronunciou sobre esta decisão, considerando que seria "inimaginável" que o SEF entrasse em greve, numa altura como esta, de pandemia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG