Gouveia e Melo a Belém? "O futuro a Deus pertence"

O vice-almirante ex-coordenador da task-force para a vacinação foi uma das principais figuras do evento comemorativo dos 157 anos do DN que ocorreu esta quarta-feira.

"Não se deve dizer que dessa água não beberei". Foi desta forma que o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo acabou por deixar a porta aberta a uma eventual carreira política, designadamente uma possibilidade candidatura a Belém.

Na tertúlia "Renovar, Recuperar e Reinventar", que decorreu esta quarta-feira à tarde na antiga sede do Diário de Notícias, para assinalar o 157..º aniversário do jornal, o ex-coordenador da task-force para a vacinação contra a covid-19 disse que enquanto esteve nessas funções tentou "despolitizar a figura, porque achava que era o mais importante para não envolver a task force numa guerra política".

"Não sou um ator político. Neste momento, sou um ator com uma missão e a única coisa em que tenho de estar focado é nessa missão, e não no futuro", sublinhou.

Mas para o futuro, admitiu, esse, "ainda não se realizou e, até lá, muita coisa pode acontecer".

"Têm-me aconselhado a dizer que dessa água não beberei, que é uma frase muito forte. Não se deve dizer nunca 'dessa água não beberei'", ressalvou.

Leia esta quinta-feira na edição impressa do DN e aqui, em www.dn.pt tudo sobre este evento, que contou ainda com a presença e intervenções do ministro da Economia, Pedro SIza Vieira, e do presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG