Filipe de Botton destaca importância de divulgar Portugal

O Presidente da direção do Conselho da Diáspora Portuguesa, Filipe de Botton, realçou hoje a importância de divulgar Portugal e aumentar a reputação do país através da ligação entre portugueses residentes e os que estão no estrangeiro.

Na abertura do primeiro encontro anual do Conselho da Diáspora Portuguesa, que se realiza hoje no Palácio da Cidadela, em Cascais, Filipe de Botton destacou que "a grande missão é fazer a ligação entre os portugueses lá fora e os que cá estão".

Além disso, acrescentou, pretende-se também informar os conselheiros sobre o que se passa no país, com o objetivo de "aumentar a reputação de Portugal e criar uma arquitetura para todos trabalharem em prol do país".

A cultura, arte, ciência e cidadania são áreas nas quais Filipe de Botton quer desenvolver maior trabalho para a projeção de Portugal.

Já com o ministro da Economia, António Pires de Lima, o líder do PS, António José Seguro, entre as personalidades presentes, o primeiro painel de debate do Conselho da Diáspora Portuguesa foi sobre o futuro de Portugal.

"Estará Portugal pronto para o futuro", foi a pergunta que se impôs, num debate fechado aos órgãos de informação.

O encontro de hoje do Conselho da Diáspora Portuguesa reúne hoje cerca de 30 "portugueses influentes", como Horta Osório, Armando Zagalo ou Joaquim de Almeida, para discutir "novas ideias sobre soluções para o futuro" do país.

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, e o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, são também presenças confirmadas, bem como o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, e outros ministros e dirigentes de empresas em Portugal como a REN, a Brisa, o BES ou a IBM.

Lançado a 26 de dezembro de 2012 pelo Presidente da República com 25 membros fundadores, o conselho tem hoje 52 conselheiros, de 16 países e quatro continentes.

Em debate vão estar "três grandes temas": a mobilidade inteligente, o financiamento alternativo das empresas portuguesas e a discussão sobre se Portugal está pronto para o futuro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG