Euro "cria obrigações à Alemanha" perante Portugal

O Nobel da Economia Paul Krugman afirma que a partilha da moeda única "cria obrigações à Alemanha" perante países como Portugal, cujas exportações "tornar-se-iam bastante mais competitivas em todo o lado" se Berlim aumentasse "todos os salários alemães em 20%".

"Que é que acham que aconteceria ao valor do euro contra o dólar e outras moedas" com esse aumento de 20% nos salários alemães, pergunta o economista, acrescentando no texto publicado ontem no seu blogue: "Cairia bastante, não? E as exportações portuguesas tornar-se-iam bastante mais competitivas em todo o lado, incluindo em destinos não alemães e também de fora da zona euro."

O também colunista do New York Times intervinha num debate entre os economistas Ryan Avent, Karl Smith e Tyler Cowen - após este dizer, preocupado,que uma política mais expansionista do Banco Central Europeu "iria gerar inflação na Alemanha em vez de crescimento em Portugal".

Para Paul Krugman, a Alemanha ser um dos principais mercados exportadores de Portugal "é praticamente irrelevante" porque os dois países, "para o bem e (principalmente) para o mal, agora partilham uma moeda, e o que acontece na Alemanha afeta bastante o valor dessa moeda em relação a outras".

Citando Ryan Avent, Krugman termina o seu texto afirmando que "a crucial diferença entre as relações económicas Alemanha/Portugal e, digamos, as relações EUA/El Salvador [...] é que Alemanha e Portugal partilham a moeda. Isto cria obrigações à Alemanha, quer goste elas ou não".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG