"Era expectável a minha eleição", diz José Faria

Para uns é um ilustre desconhecido. Para outros, nem tanto. José Inácio Faria, 52 anos, membro da comissão política nacional do MPT, filiado há 10 anos, já ocupou o cargo de secretário-geral do Partido da Terra e exerceu advocacia durante algum tempo até tornar-se assessor jurídico da Câmara Municipal de Lisboa nos mandatos de Jorge Sampaio, João Soares e de Santana Lopes, continuando nas mesmas funções no mandato de António Costa no gabinete de apoio ao MPT na autarquia lisboeta.

O jurista, recém eleito eurodeputado na lista de Marinho e Pinto disse ao DN que não ficou surpreendido por o partido do trevo ter conseguido eleger dois eurodeputados.

"Era expectável apesar de a comunicação social não ter sido muito favorável à candidatura de Marinho e Pinto durante a pré-campanha e campanha eleitoral. Mesmo assim, e apesar dos fracos meios, cobrimos o país inteiro espalhando uma nova mensagem de esperança. E o eleitorado foi recetivo. Se tivéssemos mais cobertura mediática, se não tivéssemos tido este bloqueio por parte da comunicação social, pode ter a certeza que os resultados teriam sido maiores e a abstenção muito menor", disse. O jurista mostrou-se, sim, surpreendido com a elevada taxa de abstenção. A maior de sempre. E tem uma justificação.

"O povo está cansado e não é estúpido. Sabe o que quer. E deixou de acreditar nos partidos políticos. Tenho-me cruzado com abstencionistas que me têm dito: 'ai se soubéssemos que o dr. Marinho e Pinto era candidato tínhamos ido votar'".

José Inácio Faria será agora liderado por um independente, Marinho e Pinto "um homem de esquerda. O partido da Terra é um partido ecologista e ambientalista que engloba militantes e simpatizantes provenientes da esquerda e da direita tradicional, uma dicotomia que eu considero ultrapassada", referiu.

O eurodeputado do partido fundado por Gonçalo Ribeiro-Telles em 1993, acha que pode acontecer, a partir de agora, uma "corrida" de candidatos a militantes ao MPT mas, "tendo em conta o passado soubemos sempre ajustarmos às condições existentes em cada momento e penso que saberemos lidar com a atual situação e futuramente com o que poderá acontecer", sublinhou.

Mais Notícias