Direção do PS rejeita "suspeição" sobre primárias

Miguel Laranjeiro recusa "insinuação ou manipulação que vise denegrir o PS e o processo" das eleições primárias, depois de acusações da candidatura de Costa de "fraude eleitoral" por causa de um e-mail.

O secretário nacional do PS, Miguel Laranjeiro, rejeitou esta quinta-feira "qualquer tipo de insinuação ou manipulação que vise denegrir o PS e o processo das [eleições] primárias".

Estas afirmações foram feitas aos jornalistas, no jardim fronteiro ao Parlamento, em Lisboa, depois de acusações da candidatura de António Costa de uma alegada "fraude eleitoral" por causa de um e-mail enviado por uma militante socialista, farmacêutica de profissão, que usou uma 'mailing list' profissional para endereçar um apelo ao voto em António José Seguro (ver notícias relacionadas).

Para Laranjeiro, tratou-se de "uma iniciativa individual", de alguém que o fez "usando os seus meios próprios". "Só responsabiliza a pessoa que o fez, só vincula a própria", apontou, apesar de evitar condenar em nome da direção a iniciativa dessa militante.

Às acusações de eventual interferência de poderes económicos na campanha interna socialista, o secretário nacional do partido para a organização insistiu que "não há interferência de poderes económicos", apontando de seguida o dedo ao campo de António Costa. "Rejeitamos que a partir de uma iniciativa individual seja levantada esta suspeição."

Admitindo que tem havido "exageros de parte a parte", Miguel Laranajeiro preferiu prescrever para as eleições primárias do PS um "processo" que seja "transparente". O regulamento para essas eleições será discutido e votado esta quinta-feira à noite em sede de Comissão Política Nacional socialista - e esse regulamento "visa a transparência e o rigor de todo o processo", sublinhou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG