Cotrim Figueiredo diz que Governo usa desconfinamento para "capitalizar momento eleitoral"

O líder da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo, considerou este domingo que o Governo está a usar o desconfinamento para "capitalizar o momento eleitoral", e defendeu um "rápido regresso da vida normal".

"Nós [IL] pedimos que entrássemos em desconfinamento total em julho, na penúltima reunião do Infarmed. O que o Governo está a fazer agora, tarde e a más horas, é capitalizar um momento eleitoral e arvorar-se como campeão da libertação", criticou João Cotrim de Figueiredo.

O líder do partido, que esta manhã esteve numa ação de campanha autárquica em Matosinhos, no distrito do Porto, apoiando o candidato independente Humberto Silva, considerou que "a sociedade não se pode desenvolver se privilegiar sempre a segurança em relação à liberdade", acusando o executivo do PS de "gerir politicamente" o processo.

"Percebo que as pessoas ainda tenham receio, mas já é tempo de saber que esta pandemia se vai tornar numa endemia e que vai estar connosco como outros vírus. Vamos ter de saber viver com isso e não podemos estar reféns. Se fossemos governo já desde julho havia alívio das restrições", acrescentou o responsável do IL.

Cotrim Figueiredo lembrou que "foram impostas restrições ridículas, como fechar os restaurantes às 13:00, causando tantas dificuldades aos negócios", vincando que um dos propósitos do IL nesta campanha autárquica é explicar que o mote do partido é "não complicar a vida às pessoas".

"O Estado central e local o que tem de fazer é sair da frente e não complicar, com impostos, regulamentos, exigências e prepotências, que em todo o país impedem as pessoas de fazer o que gostariam na sua vida económica e pessoal", vincou o dirigente.

Na visita de hoje ao concelho de Matosinhos, seguida das ações de campanha também na Póvoa de Varzim e Vila do Conde, municípios com uma forte tradição piscatória, o líder do IL defendeu que as autarquias devem ter um forte papel em "descomplicar" todo este setor das pescas.

"A indústria piscatória não é só a captura e a comercialização. É toda uma cadeia que tem um conjunto de regras, regulamentos, impostos e limitações que não só tornam mais difícil a vida das pessoas, como tornam mais complicada a adaptação que esta indústria queira fazer nas adaptações do perfil, modelos e intensidade de consumo", analisou João Cotrim Figueiredo.

O líder do IL considerou "fundamental que a indústria continue a adaptar-se e tenha agilidade para voltar à normalidade sem o excesso de intervenção das autoridades locais e do governo central".

"Quando as pessoas passam a comprar em ritmos, quantidades e locais diferentes, toda a cadeia tem de se adaptar. Se estiver espartilhada por um conjunto de regras, feitas por um conjunto de burocratas numa autarquia ou num ministério isso vai impedir o crescimento", rematou João Cotrim Figueiredo.

Após a ação em Matosinhos, líder do Iniciativa Liberal estará, à tarde, nos concelhos de vizinhos da Póvoa de Varzim e Vila do Conde, apoiando os candidatos locais do partido Ricardo Zamith e Rui Saavedra, respetivamente, rumando, depois, à noite para um jantar de campanha em Famalicão, com o candidato José Bilhoto.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG