Costa diz que Lisboa vai continuar a comemorar dia da Restauração da Independência

O autarca de Lisboa, António Costa, afirmou hoje que a capital continuará a celebrar o dia da Restauração da Independência, e defendeu que em 1640 "muitos consideravam inevitável a perda da independência" e de direitos.

"Entre 1580 e 1640, também muitos consideravam inevitável a perda da independência da pátria. Chamavam a isso uma realidade a que não se podia fugir e chamavam irrealistas àqueles que não a aceitavam", declarou António Costa (PS).

O presidente da autarquia da capital falava durante as cerimónias que assinalaram a Restauração da Independência de Portugal, na praça dos Restauradores, a última antes da suspensão do feriado nacional por esta ocasião.

"Ontem como hoje, houve sempre quem achasse que a melhor maneira de defendermos os nossos direitos é desistir deles ou entregar a outros a sua defesa. Ontem, como hoje, houve sempre quem pensasse que os outros nos governam melhor do que nós próprios nos governamos", afirmou.

Para António Costa, hoje o país está confortado com "uma crise que, antes de ser económica, é uma crise moral".

"As crises como esta geram frequentemente um clima de 'salve-se quem puder' e um sentimento de impotência. Ou então de revolta e violência. Para os prevenir, temos, em cada momento, de reafirmar o nosso sentido de pertença e de partilha, renovando o nosso patriotismo e uma exigente exemplaridade cívica e democrática", sustentou.

Segundo o autarca da capital, "hoje, ser português e patriota é querer um país em que todos gostem de viver, que não tire a dignidade aos mais velhos, nem a esperança aos mais novos".

"Hoje, ser português e patriota, é lembramo-nos que, quando o país esteve em perigo, foram os portugueses que melhor o defenderam. Ser patriota hoje é acreditar em Portugal e nos portugueses", defendeu.

António Costa afirmou que "a cidade de Lisboa continuará a assinalar o 1º de Dezembro" e a autarquia continuará a associar-se às comemorações, convidando também todos os municípios que se queiram associar através da realização de um festival nacional de bandas filarmónicas, que este ano aconteceu sob a forma de desfile.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG