CIP desafia Cavaco a sair do "silêncio ensurdecedor"

António Saraiva considera que Presidente da República deve promover o consenso entre PSD, PS e CDS/PP para se iniciar "reformas fundamentais"

O presidente da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP), António Saraiva, desafiou hoje o Presidente da República a sair do "silêncio ensurdecedor" e liderar um movimento que junte à mesma mesa os partidos do poder, PSD e CDS/PP, e o maior partido da oposição, PS.

"O Presidente deve responsabilizar os três partidos pelas reformas fundamentais: na justiça, na economia, no crescimento económico e no combate ao desemprego", declarou António Saraiva à entrada para a sessão de encerramento do XII Congresso da UGT, que decorre em Lisboa.

O líder dos patrões mostrou-se contra a realização de eleições antecipadas, classificando-as como um "custo" e um "desgaste" que o País, atualmente, não pode suportar. Depois das declarações do presidente do Eurogrupo, que revelou flexibilidade para as contas do défice português, António Saraiva disse estar satisfeito com tais palavras. "Mas é preciso passar das palavras ao atos", sublinhou.

O presidente da CIP acrescentou ainda que Portugal deve defender um "novo desenho" do memorando da troika, que passe por um "prazo mais alargado" para o pagamento do empréstimo, assim como uma renegociação dos juros.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG