Cidadãos por Coimbra alertam que é "urgentíssimo" construir a nova maternidade

O cabeça de lista do movimento considerou que a experiência da fusão do Hospital dos Covões com os Hospitais da Universidade de Coimbra "é desastrosa" e que não satisfaz as necessidades das populações no acesso aos cuidados de saúde.

O movimento Cidadãos por Coimbra (CPC) concentrou-se esta segunda-feira junto ao Hospital Geral (Covões) para alertar para a necessidade "urgentíssima" da construção da nova maternidade, que deve ser instalada naquele espaço.

"A nossa posição tem sido clara: é urgentíssimo a resolução do problema das duas maternidades que existem. É uma urgência de primeira linha dos cuidados médicos em Coimbra", afirmou Gouveia Monteiro, cabeça de lista à Câmara Municipal.

Falando à entrada daquela unidade, que integra o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, o cabeça de lista do CpC salientou que a localização da nova maternidade nos Covões tem sido "a prioridade" do movimento.

Gouveia Monteiro considerou que a experiência da fusão do Hospital dos Covões com os Hospitais da Universidade de Coimbra "é desastrosa" e que não satisfaz as necessidades das populações no acesso aos cuidados de saúde.

"Há três anos tivemos o mérito, como movimento de cidadãos que somos, de com a nossa petição trazer para a discussão pública o Hospital dos Covões e a construção da nova maternidade, que hoje é uma grande causa", salientou.

O candidato entende que esta causa "ganhava força se o município construísse o acesso a este hospital que está previsto no Plano Diretor Municipal há mais de 20 anos, pois as pessoas perceberiam melhor que a cidade quer aqui um grande hospital".

Aos jornalistas, Gouveia Monteiro exigiu ainda um plano estratégico para o Hospital dos Covões que seja "claro, democrático e que as pessoas se possam pronunciar".

A sua inexistência, acrescentou, "inquina todo o processo de discussão" sobre aquela unidade, pelo que "esse plano tem de ser público e o Governo possa chegar-se à frente com a construção da nova maternidade".

Para João Malva, candidato à presidência da AM pelo CPC, o Hospital dos Covões "é um exemplo muito concreto do esvaziamento do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e de como é que a fusão desastrosa dos hospitais em Coimbra levou ao esvaziamento de uma unidade de saúde de referência".

O programa eleitoral do CPC defende a reversão da desastrosa fusão do Hospital dos Covões com os Hospitais da Universidade de Coimbra e a "revitalização dos seus serviços de saúde de modo a devolver a total autonomia funcional e administrativa".

Além de Gouveia Monteiro, nas eleições de domingo concorrem à Câmara de Coimbra o atual presidente Manuel Machado (PS), José Manuel Silva (coligação Juntos por Coimbra PSD/CDS-PP/Nós, Cidadãos!/PPM/Volt/RIR/Aliança), Francisco Queirós (CDU), Filipe Reis (PAN), Tiago Meireles Ribeiro (Iniciativa Liberal), Miguel Ângelo Marques (Chega) e Inês Tafula (Coligação Coimbra é Capital - PDR/MPT).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG