CDU conhece preocupações de Mário Cotrim que diz só ter apelido do liberal

Bernardino Soares deixou críticas ao presidente do Iniciativa Liberal num restaurante de São João da Talha, cujo dono tem o mesmo nome do líder dos liberais.

Mário Cotrim é proprietário de um restaurante em São João da Talha e durante uma visita da comitiva da CDU sustentou que "Cotrim" só no apelido e que não vai pelo "caminho" daquele que é dos liberais.

"Não o conheço, provavelmente é da minha zona, de certeza que tem origens ali em Ferreira do Zêzere", disse Mário Cotrim, proprietário do restaurante "O Cotrim", em São João da Talha, no concelho de Loures (Lisboa).

"Esse é o Cotrim dos grandes", ironizou o dirigente comunista Bernardino Soares, que durante a manhã desta terça-feira substituiu o substituto do secretário-geral do PCP, já que João Ferreira contraiu a covid-19.

Na origem e no apelido talvez exista alguma semelhança, prosseguiu Mário Cotrim, mas de liberal não tem nada: "Não me revejo. Por esse caminho que ele está a traçar não vou".

Bernardino Soares ouviu Mário Cotrim sobre as dificuldades que viveu nos últimos dois anos. Os preços das matérias-primas estão cada vez mais altos, mas o preço das refeições não pode acompanhar, sob o risco de perda de clientes, que são cada vez menos.

"Estamos a trabalhar com margens [de lucro] muito baixas. É quase trocar dinheiro por dinheiro", lamentou, confessando que, por vezes, o dinheiro apenas dá para pagar os salários dos funcionários, que são 11.

Neste restaurante no concelho de Loures, que ainda tem um sabor agridoce depois da derrota da CDU nas autárquicas de outubro, Bernardino Soares não se imiscuiu de deixar mais uma achega ao presidente do Iniciativa Liberal.

"O outro Cotrim está preocupado com os lucros da EDP. Nós gostaríamos que a EDP tivesse menos lucros e que esta gente pudesse ter uma vida um bocadinho mais facilitada com os preços da energia", frisou.

O mesmo é aplicável à Galp, prosseguiu Bernardino Soares, uma vez que os preços dos combustíveis estão cada vez mais elevados.

Mário Cotrim corroborou as palavras do dirigente comunista e disse que gastou mais 1800 euros no ano passado.

No restaurante, frequentado por "amigos" que pertencem à CDU, Mário Cotrim pediu mais apoios para os proprietários de restaurantes.

E Bernardino Soares fez eco dessas reivindicações.

"Precisam de muito mais do que linhas de crédito, que são muitas vezes de difícil acesso. Precisam de um apoio para o fundo de tesouraria. Precisam de diminuir os custos com os fatores energéticos, de combustíveis e bancários", concretizou.

Em 2019, a CDU obteve no distrito de Lisboa, 85.789 votos, ou seja, 7,79% do total de votantes neste círculo eleitoral (1.101.346), elegendo quatro deputados.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, dissolveu o parlamento e convocou eleições antecipadas para 30 de janeiro na sequência da rejeição na generalidade da proposta de Orçamento do Estado para 2022.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG