Cavaco pede a Ministério da Educação que seja rigoroso

O Presidente da República disse hoje desconhecer o relatório que envolve a licenciatura de Miguel Relvas, mas pediu ao Ministério da Educação que seja rigoroso para reafirmar a "exigência e qualidade" do ensino português.

"Eu não conheço o relatório, só o ministro da Educação é que o conhece, eu espero é que o Ministério da Educação não deixe de ser, como agora terá sido - embora eu não tenha informação em detalhe -, rigoroso de forma a refirmar e reafirmar a exigência e qualidade do nosso ensino", afirmou Cavaco Silva, em declarações aos jornalistas à margem da inauguração da nova refinaria da Galp em Sines (Setúbal).

O chefe de Estado sublinhou que Portugal tem vindo a "marcar pontos" na qualidade do ensino universitário e deixou um apelo: "Não podemos permitir que uma qualquer instituição possa pôr em causa a reputação do ensino universitário português no plano internacional".

Na quinta-feira, horas depois de ser conhecido o pedido de demissão de Miguel Relvas, o Ministério da Educação anunciou que vai enviar para o Ministério Público o relatório da Inspeção-Geral de Educação e Ciência (IGEC) que envolve a licenciatura de Relvas, para que este decida sobre a "invalidade de um ato de avaliação de um aluno".

No relatório, a IGEC propõe a declaração da nulidade da licenciatura de Miguel Relvas obtida na Universidade Lusófona.

Miguel Relvas apresentou na quinta-feira a sua demissão do Governo, ao fim de 22 meses e várias polémicas, garantindo que sai por "vontade própria" e por falta de "condições anímicas".

Esta é a primeira demissão de um ministro no Governo de coligação PSD/CDS liderado por Pedro Passos Coelho. Até agora, as quatro anteriores mexidas no executivo apenas tinham afetado secretarias de Estado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG