Carro oficial de Eduardo Cabrita "não sofreu qualquer despiste"

Ministério da Administração Interna afirma, em comunicado, que "o trabalhador atravessou a faixa de rodagem" e "não havia qualquer sinalização que alertasse os condutores para a existência de trabalhos de limpeza em curso".

A viatura que transportava o ministro Eduardo Cabrita, e que esteve envolvida num acidente de viação do qual resultou uma vítima mortal, esta sexta-feira, "não sofreu qualquer despiste", diz, em comunicado o Ministério da Administração Interna.

"Face a informações erróneas divulgadas sobre o acidente de viação", diz a nota enviada às redações, o ministério de Administração Interna (MAI) esclarece ainda que "a viatura circulava na faixa de rodagem, de onde nunca saiu, quando o trabalhador a atravessa".

"O trabalhador atravessou a faixa de rodagem, próxima do separador central, apesar de os trabalhos de limpeza em curso estarem a decorrer na berma da autoestrada", acrescenta a mesma nota.

O BMW, que as imagens mostram que sofreu danos na parte dianteira, do lado do condutor, seguia na A6, e transportava Eduardo Cabrita de regresso a Lisboa após uma visita a Portalegre.

"Não havia qualquer sinalização que alertasse os condutores para a existência de trabalhos de limpeza em curso", diz o MAI.

A vítima mortal é um operário de 43 anos que procedia a trabalhos de manutenção na via perto de Azaruja.

Neste momento, está a decorrer uma investigação ao acidente, por parte do Núcleo de Investigação Criminal de Acidentes de Viação de Évora da Guarda Nacional Republicana.

No local do acidente estiveram 27 operacionais e 12 viaturas dos Bombeiros Voluntários de Estremoz, do INEM e da GNR, com oito militares.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG