Carlos Moedas: "Não vamos falhar as nossas promessas"

O vencedor das eleições autárquicas em Lisboa almoça esta segunda-feira com trabalhadores da Câmara da cidade. "Temos de deixar a política da fricção e fazer a política da construção", defendeu.

Carlos Moedas prometeu esta segunda-feira, no início de uma visita aos trabalhadores da higiene urbana da autarquia, que irá cumprir o programa eleitoral. "Não vamos falhar as nossas promessas", afirmou o cabeça de lista da coligação Novos Tempos Lisboa (PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança) antes deste encontro, que tinha prometido que aconteceria se vencesse.

"É apenas uma promessa. Estou aqui para cumprir", disse acerca deste almoço no refeitório municipal do Polo Olivais 2 COR, garantindo que irá "ouvir as pessoas, trabalhar com as pessoas". "Disse sempre que estarei do lado dos mais frágeis", lembrou, reafirmando que é um "homem de consensos".

Carlos Moedas disse que, agora, vai fazer a transição de poder com Fernando Medina e que, daí em diante, conta "com todos os partidos e com todos os vereadores" para governar Lisboa. "Temos de deixar a política da fricção e fazer a política da construção", defendeu o ex-comissário europeu, referindo que "a Comissão Europeia é talvez a melhor escola para trabalhar com pessoas de todas as forças políticas".

O vencedor das autárquicas em Lisboa recusou fazer uma leitura nacional dos resultados das eleições, mas admitiu que a mudança de ciclo em Lisboa poderá "ter efeitos" a nível nacional.

"Não há aqui nenhuma leitura nacional, há uma leitura local. Obviamente que há uma leitura do ponto de vista de uma mudança, de um novo ciclo de mudança político, que pode ter efeitos nacionais, mas o efeito aqui que temos é um efeito local de mudar Lisboa e é nisso que me vou concentrar nos próximos anos", reforçou Moedas.

Além disso, referiu-se ao facto de a capital ter um governo de cor diferente da do governo nacional. "É importante a Câmara de Lisboa ter a capacidade de desafiar o poder nacional. Mas é um desafio construtivo", considerou.

Repetindo a ideia da campanha - "Contra tudo e contra todos aqui estamos" - Carlos Moedas rematou: "Tudo o que for para o bem de Lisboa, eu vou fazer. E vou fazer com pragmatismo".

Segundo os resultados oficiais divulgados esta segunda-feira pelo Ministério da Administração Interna, a coligação Novos Tempos Lisboa (PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança) conseguiu sete vereadores, com 34,25% dos votos (83.121 votos); a coligação Mais Lisboa obteve sete vereadores, com 33,3% (80.822 votos); a CDU (PCP/PEV) dois, com 10,52% (25.528 votos); e o Bloco de Esquerda (BE) conseguiu um mandato, com 6,21% (15.063).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG