Bruxelas "não tem um número específico em mente"

O porta-voz de Olli Rehn manifestou surpresa ter sido avançado um valor, afirmando que Bruxelas "não tem um número específico em mente".

O porta-voz da Comissão Europeia afirmou hoje em Bruxelas que, "por agora", não é altura para "antecipar cenários" sobre o fim do programa de ajustamento. "Ainda é cedo", afirmou Simon O"Connor, questionado pelo Dinheiro Vivo/DN sobre as declarações de Rui Machete, que ontem afirmou que uma taxa de juro acima dos 4,5% forçaria o governo a "encontrar vias alternativas, que normalmente se designam como um novo resgate".

O porta-voz de Olli Rehn manifestou surpresa ter sido avançado um valor, afirmando que Bruxelas "não tem um número específico em mente".

"Não temos um número específico em mente. Iremos olhar para isso na altura certa para essa situação, tendo em conta, as perspectivas para o regresso sustentável de Portugal aos mercados", afirmou.

A Comissão Europeia continua a considerar prematura qualquer discussão sobre a saída do programa de ajustamento, tendo em conta que continua a haver "muito trabalho para fazer em Portugal".

"É muito cedo agora para ter essa discussão, uma vez que até agora a Comissão esteve completamente focada em apoiar o governo português a implementar o programa de ajustamento. Acabamos de completar a 8 e nona missões. Concluímos que o programa está no camino certo. Há muito trabalho para fazer em Portugal e continuaremos completamente focados em apoiar o governo português nas questões relacionadas com a conclusão do programa. E, a saída de Portugal do programa de ajustamento tem de ser feita no seu seguimento e não por agora", afirmou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG