BE requer "presença urgente" de Relvas no Parlamento

O Bloco de Esquerda requereu hoje a "presença urgente" do ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, na Comissão de Ética, Sociedade e Cultura para prestar esclarecimentos sobre o 'caso Pedro Rosa Mendes'.

"Na sequência da demissão do jornalista Pedro Rosa Mendes da RDP após uma crónica muito crítica da instrumentalização da RTP ao serviço do Ministro dos Assuntos Parlamentares e do poder económico e político angolanos, denunciámos, como muitos outros, o ato de censura que se estava a assistir", lembra a deputada do Bloco Catarina Martins no requerimento que hoje fez chegar ao presidente da comissão parlamentar, o social-democrata José Mendes Bota.

De acordo com o Bloco, a direção de informação da RDP demitiu-se na quinta-feira, "depois de fortes críticas do conselho de redação" e "esta demissão vem confirmar as piores suspeitas sobre a censura e instrumentalização no serviço público de rádio e televisão".

"Estamos perante uma situação que põe em causa os próprios fundamentos do regime democrático e que exige esclarecimentos urgentes e da tutela. As audições dos responsáveis pela RTP não são já suficientes e aguardar por uma audição regimental do ministro [prevista para 10 de abril, segundo informou à

O Bloco junta-se ao Partido Socialista, que indicou ainda na quinta-feira que hoje faria chegar um requerimento semelhante à comissão parlamentar para a Ética, Sociedade e Cultura, este assinado pela deputada Inês Medeiros.

Segundo a parlamentar, a demissão da direção de informação da Antena 1 "é um sinal muito preocupante, vem confirmar as piores suspeitas de ingerência direta na decisão de anular o programa [Este Tempo]".

Para Inês Medeiros, "não se trata só de uma substituição normal de grelha, como têm vindo a afirmar".

O pedido de demissão da Direção de Informação da rádio pública, aceite pelo Conselho de Administração, foi feito hoje ao final da manhã, depois dos "últimos acontecimentos relativos ao programa 'Este Tempo'" e de "todos os episódios que se seguiram à sua anulação", adianta uma nota do coletivo.

Ex-jornalista da

Mais Notícias

Outras Notícias GMG