BE quer reposição dos quatro feriados suspensos

Bloquistas entregaram na mesa de Assunção Esteves um projeto de resolução sobre os feriados civis e religiosos. Até agora, só o PCP tinha defendido a reposição dos quatro dias.

O Bloco de Esquerda (BE) apresentou esta quarta-feira, no Parlamento, uma proposta para a reposição dos quatro feriados suspensos desde 2012, desde a alteração ao Código do Trabalho.

No projeto de resolução, o partido agora coordenado por uma Comissão Permanente de seis elementos, com Catarina Martins como porta-voz nacional, observa que a decisão de suspender o Corpo de Deus, o 5 de Outubro, 1 de Novembro e o 1 de Dezembro "roubou mais de oito dias de descanso a cada trabalhador do país".

"Ao contrário do que o governo afirmou, a redução dos feriados nunca foi consensual na sociedade portuguesa. Desde logo, pela incapacidade deste Governo de valorizar a memória histórica do nosso povo e de a submeter a critérios arbitrários de cortes financeiros", pode ler-se no diploma dos bloquistas, que aponta ainda para o facto de Portugal ser dos países "onde mais horas se trabalha na União Europeia".

O texto do BE dá ainda conta de que "a própria maioria PSD/CDS já admitiu a possibilidade de reavaliar os feriados depois da saída da troika", pelo que não é identificada "nenhuma razão para manter a abolição destes feriados" e ainda para não haver "a consagração da terça-feira de Carnaval".

Até agora, só o PCP tinha avançado com uma iniciativa para repor os quatro feriados civis e religiosos. O PS, como o DN noticia esta quarta-feira, vai apresentar uma proposta para reposição do 1.º de Dezembro, enquanto no CDS Paulo Portas vai levar ao Conselho Nacional, no dia 13, uma proposta sobre o dia que assinala a Restauração da Independência.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG