BE exige demissão da ministra da Justiça a Passos Coelho

O Bloco de Esquerda (BE) exigiu esta quinta-feira a demissão da ministra da Justiça ao primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, perante o que considera ser o "caos" da reforma levada a cabo e problemas na plataforma informática Citius.

"Ao primeiro-Ministro, fazemos o convite, que assuma o drama que se vive a todos os níveis na justiça em Portugal e as consequências óbvias, as quais, do nosso ponto de vista, como a culpa não pode morrer solteira, passam pela demissão da ministra", disse a deputada bloquista Cecília Honório, nos Passos Perdidos do Parlamento.

Paula Teixeira da Cruz pediu quarta-feira desculpa pública e garantiu "assumir integralmente a responsabilidade política" pelos "transtornos" registados, embora negando qualquer "caos" nos tribunais.

"Quando se estava à espera de respostas urgentes, a resposta foi nenhuma, a não ser esta assunção cândida de uma responsabilidade relativa. Quando uma ministra da justiça não encara o caos e fala apenas de uma situação de transtorno não está de facto a assumir plenamente a responsabilidade", criticou a parlamentar do BE.

Segundo Cecília Honório, "temos um Citius bom, onde não está nada, e um Citius mau, que não serve o país, e ficámos a saber que haverá um Citius futuro, não se sabe exatamente quando".

Após as declarações de véspera da ministra, o presidente do Instituto de Gestão Financeira e dos Equipamentos da Justiça (IGFEJ), Rui Mateus Pereira informou ter sido o próprio a garantir à responsável pela tutela que o sistema estaria apto a funcionar em 01 de setembro, apesar da sobrecarga de 3,5 milhões de processos migrados

Mais Notícias

Outras Notícias GMG