ANF garante que não toma partido no PS

A Associação Nacional de Farmácia (ANF) reagiu hoje à polémica que envolve uma sua associada, Isaura Martinho, na campanha interna no PS, garantindo que "nunca tomou, não toma e não tomará qualquer posição de política partidária".

Está em causa o facto, reportado hoje no CM e no JN, de Isaura Martinho, dirigente do PS e antiga dirigente da ANF, ter feito através dos seus contactos um apelo ao voto em António José Seguro nas primárias do PS, "para que a tralha socrática não volte".

A candidatura de António Costa já falou em "indícios de fraude eleitoral" porque a dirigente não se dirigiu especificamente a simpatizantes do PS mas sim a independentes em geral, mesmo não votantes no partido ("Nas legislativas votam onde entenderem, do dia 28 de setembro [dia das primárias no PS] temos de votar Seguro").

Acrescenta que "a rede de farmácias reúne mais de 22 mil profissionais, com todas as convicções políticas possíveis e imaginárias" e "como é manifesto, nunca apoiou ou poderá algum dia apoiar qualquer candidatura".

Por outro lado, "a ANF, os seus órgãos sociais e a rede de farmácias como um todo nunca tomou, não toma e não tomará qualquer posição de política partidária" porque "a política partidária sempre ficou e continuará a ficar à porta" da associação "e das farmácias portuguesas".

Fonte da ANF garantiu categoricamente ao DN que Isaura Martinho nunca usou qualquer base de dados da associação.

Para Duarte Cordeiro, dirigente da campanha de António Costa, o caso é particularmente escandaloso porque Isaura Martins terá feito um "apelo claro" a independente "não simpatizantes" do PS para o voto no secretário-geral do partido.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG