André Silva deixa a liderança do PAN e o cargo de deputado

O anúncio foi feito numa carta aos militantes do partido, que publicou no seu Facebook, e terá efeitos em junho. Porta-voz quer "apanhar o comboio da paternidade", tendo sido pai há cinco meses.

André Silva anunciou no Facebook que vai deixar a liderança do PAN e o lugar de deputado, com efeitos a partir do próximo Congresso, em junho. Porta-voz nacional do partido desde outubro de 2014, André Silva quer agora "apanhar o comboio da paternidade", lembrando que é um defensor da limitação de mandatos até a nível partidário.

"Volvidos vários anos de intenso trabalho e de uma magnífica experiência cívica e pessoal, decidi não me recandidatar aos órgãos nacionais do partido", escreveu numa carta aos militantes, que partilhou na rede social.

"Tendo sido pai há cinco meses, considero que devo apanhar o comboio da paternidade para materializar valores que considero essenciais nas esferas privada e pública", revelou aquele que foi o primeiro deputado eleito pelo partido Pessoas-Animais-Natureza, em 2015. Era porta-voz do partido desde outubro de 2014.

"Durante estes anos vivi intensamente os desígnios do PAN, tendo dado o máximo que tenho e da forma que melhor sei. No caminho, cometi erros, tentei aprender com eles e corrigi-los. Abdiquei de muito a nível pessoal para me dedicar à missão de afirmar e fazer crescer o partido, relegando todos os outros aspetos da minha vida. Chegou a hora de mudar", revelou.

Na carta, André Silva diz ainda que além de pretender equilibrar a sua vida pessoal e familiar com a vida profissional, carrega "a forte convicção de que numa democracia saudável as pessoas não devem eternizar-se nos cargos, devendo dar oportunidade a outras", lembrando ser a favor da limitação dos mandatos políticos também a nível partidário.

"Decidi não me recandidatar a um novo mandato na Comissão Política Nacional, deixando todos os cargos de direção partidária. Vou-me embora tendo presente o patamar de notoriedade atingido pelo partido, bem como as aptidões de ação política e de disputa eleitoral autónoma que adquiriu nos últimos anos", acrescentou.

Indicou ainda que vai também renunciar ao mandato de deputado "com efeito na data de realização do nosso Congresso no mês de junho, cumprindo assim meia legislatura e fechando um ciclo pessoal e da vida do partido."

André Silva indica que continuará como militante do partido, disponível para continuar a dar o seu contributo para o projeto. "O nosso partido continuará a fazer a diferença na sociedade e na política. O PAN deve ocupar o papel de charneira política no combate das nossas vidas, a crise climática e ambiental. O PAN conserva todas as condições para continuar a afirmar-se como um partido diferenciador, autónomo, moderno, progressista e que não se deixa resgatar pela dicotomia simplista e redutora de esquerda/direita. As causas do PAN são transversais a toda a sociedade e são maiores do que qualquer gaveta ideológica e do que qualquer pessoa!", conclui.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG