5 de Outubro vai continuar a festejar-se em Lisboa

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, lamentou hoje o fim do feriado de 5 de Outubro, considerando a decisão do Governo "infeliz" e assegurando que a Implantação da República "vai continuar a festejar-se" na capital.

O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, anunciou hoje que vai propor aos parceiros sociais a eliminação do 5 de Outubro e do 1.º de Dezembro da lista de feriados obrigatórios.

Solicitado pelos jornalistas a comentar esta decisão, à margem do Fórum das Políticas Públicas, que teve início hoje no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), António Costa considerou-a "infeliz", assegurando que "o 5 de Outubro continuará a ser comemorado pelo menos em Lisboa", cidade onde foi proclamada a República.

"Temos de assinalar a data de outra forma. Lamento a decisão, mas é uma decisão do Governo, e o que eu posso dizer é que encontraremos formas para continuar a assinalar o 5 de Outubro", afirmou o autarca socialista.

Apesar de o dia passar a ser um dia de trabalho normal, o presidente de Câmara assegurou que "a bandeira nacional não deixará de ser hasteada na balcão onde foi proclamada a República" e que "não faltarão formas" de assinalar a data.

"Espero que o senhor Presidente da República, apesar de ser um dia de trabalho, tenha a disponibilidade que sempre teve para assistir a essa cerimónia", afirmou.

Quanto à possibilidade de a implantação da República ser festejada ao domingo, António Costa rematou: "O 5 de Outubro será comemorado ao domingo quando for domingo".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG