40 pessoas pedem demissão de Miguel Relvas

Cerca de 40 pessoas concentraram-se hoje pelas 19.00 junto à Assembleia da República, em mais um protesto para reclamar a demissão do ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas.

A manifestação, que é já a terceira organizada para que o ministro Miguel Relvas se demita, decorreu de forma ordeira e pacífica, sem palavras de ordem, e com alguns participantes a empunhar cartazes onde se lia "Relvas, vai estudar" e "Relvas tem de sair por uma política com ética".

Os manifestantes debateram a credibilidade do Governo, bem como a legitimidade de Miguel Relvas para permanecer no Executivo, considerando que o ministro-adjunto é um "mau sinal externo" que Portugal envia.

Na semana passada, cerca de cem pessoas reuniram-se no mesmo local para exigir a demissão do ministro Miguel Relvas, depois de na semana anterior algumas centenas de pessoas se terem concentrado também junto do parlamento com a mesma exigência.

O protesto foi organizado pelo cineasta Miguel Gonçalves Mendes e convocado através do Facebook, estando previsto que todas as segundas-feiras se realizem manifestações semelhantes até que o ministro se demita.

Num comunicado sobre esta nova manifestação, o cineasta considera que a iniciativa faz eco das "largas correntes da opinião pública que, por toda a sociedade e corredores políticos, vêm exigindo a demissão do senhor ministro Miguel Relvas" pelos "sucessivos casos em que se encontra envolvido".

São referidos o caso do fim dos comentários de Pedro Rosa Mendes na rádio Antena 1, da relação de Miguel Relvas com o ex-espião Jorge Silva Carvalho, o problema com o jornal Público e a polémica em torno da licenciatura do ministro em Ciência Política e Relações Internacionais, feita em cerca de um ano na Universidade Lusófona.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG