Presidente da Iniciativa Liberal abandona a presidência do partido

Carlos Guimarães anunciou a renúncia nas redes sociais: "Foi um ano intenso em que tive que abdicar de muito para fazer este caminho. Fi-lo numa altura em que ninguém o teria feito. [...] Não me podem exigir mais"

Carlos Guimarães, o presidente do Iniciativa Liberal (IL), abandonou a presidência do partido esta quarta-feira. "A menos de um ano de eleições muitos acharam impossível que um partido sem dinheiro (que teve que fazer um peditório entre os membros para colocar o primeiro cartaz), sem um rosto mediático, sem uma direção ideológica clara e com um micro-escândalo às costas, conseguisse eleger um deputado nas eleições mais concorridas de sempre. A verdade é que conseguimos e hoje a sua voz foi ouvida bem alto no parlamento. A minha missão no partido ficou hoje #cumprida e termina aqui", escreveu o líder do partido no Facebook.

"Eu percebo a desilusão que alguns possam ter em relação a este anúncio, mas não me podem pedir mais. Não me podem pedir que continue a sacrificar a minha vida por uma causa. Foi um ano intenso em que tive que abdicar de muito para fazer este caminho. Fi-lo numa altura em que ninguém o teria feito. Criei as condições para que outros o possam fazer daqui para a frente com recursos que eu nunca tive e, espero eu, menos sacrifícios pessoais. Não me podem exigir mais", diz o agora ex-líder do IL

A Iniciativa Liberal elegeu um deputado pela primeira vez nas eleições de 25 de outubro. João Cotrim Figueiredo foi eleito pelo circulo de Lisboa e estreou-se esta quarta-feira nos debates da Assembleia da República, destacando que há uma diferença enorme" entre aquilo que o Governo propõe e aquilo de que o país precisa". O deputado recém-eleito por Lisboa usou o tempo que lhe foi atribuído para lançar críticas aos "tentáculos do Estado" e criticar a carga fiscal elevada.

Carlos Guimarães assumiu a liderança do partido em outubro de 2018, após ser eleito na Convenção realizada no dia 13 de outubro em Montemor-o-Velho, Coimbra. "Economista de formação, viveu grande parte da sua vida adulta no Dubai, tendo trabalhado como consultor de empresas em mais de 20 países espalhados por 4 continentes. Atualmente, é investigador na área da Economia Internacional e dá aulas como professor convidado no Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica e na National Economics University de Hanoi, Vietname. É um dos liberais mais respeitados e influentes do país, sendo um dos autores do livro "O Economista Insurgente: 101 perguntas incómodas sobre Portugal".", pode ler-se na página do partido.

Mais Notícias