Ministra da Justiça condena "discurso xenófobo" de André Ventura

André Ventura, do Chega, propôs na rede social Facebook que Joacine Katar Moreira fosse "devolvida ao seu país de origem", após a deputada do Livre apresentar uma proposta para a devolução de património existente nos museus portugueses aos países de origem nas ex-colónias de Portugal.

A ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, condenou esta quarta-feira o "discurso xenófobo" do deputado do partido Chega, André Ventura, por este ter sugerido a deportação da deputada do partido Livre, Joacine Katar Moreira.

"Não podia não deixar aqui uma nota de condenação para o discurso xenófobo que começou a invadir os nossos espaços institucionais e que chegou ao parlamento, com uma declaração feita ontem [terça-feira] e que atingiu a deputada [do Livre] Joacine Katar Moreira", afirmou Francisca Van Dunem, no início do seu discurso na Conferência 2020 Interseccional "Encarceramento e Sociedade", que decorre em Coimbra.

A ministra da Justiça fazia referência à publicação feita na terça-feira por André Ventura na rede social Facebook, em que propôs que Joacine Katar Moreira fosse "devolvida ao seu país de origem".

Joacine Katar Moreira foi "convidada a ir para a sua terra, como se esta não fosse a terra da deputada Joacine Katar Moreira, que foi eleita pelo povo português para o parlamento deste país", criticou Francisca Van Dunem no início de um discurso que durou quase uma hora, onde abordou o racismo, o colonialismo português e o excessivo encarceramento, entre outros temas.

PS avança com voto de condenação a André Ventura

A líder parlamentar do PS anunciou esta quarta-feira que vai propor na Assembleia da República uma condenação formal do deputado do Chega, André Ventura, por "xenofobia", depois de este ter sugerido a deportação da deputada do Livre Joacine Katar Moreira.

Joacine Katar Moreira apresentou uma proposta para a devolução de património existente nos museus portugueses aos países de origem nas antigas colónias de Portugal, o que levou a seguir André Ventura a propor a devolução desta deputada do Livre ao seu país de origem.

"O PS condena veementemente as afirmações proferidas contra um deputado, que são xenófobas. O convite feito a qualquer cidadão para sair e voltar ao seu país de origem é inadmissível numa sociedade democrática e é inadmissível em Portugal. Isto, para o PS, não passará sem uma condenação formal no espaço próprio, que é o parlamento", declarou Ana Catarina Mendes.

Em declarações aos jornalistas, a meio do segundo e último dia de Jornadas Parlamentares do PS, a líder da bancada socialista considerou que a declaração do deputado do Chega "contraria todos os princípios numa sociedade inclusiva como a portuguesa".

"Ponderamos apresentar um voto de condenação, porque essas palavras [de André Ventura] são demasiado graves e não fazem parte da tradição de sociedade integradora que tem Portugal. O PS luta por uma sociedade livre e inclusiva, razão pela qual considera inadmissíveis essas declarações, seja contra uma deputada em exercício de funções, seja contra qualquer cidadão alvo de um ataque dessa natureza", insistiu a presidente do Grupo Parlamentar do PS.

Interrogada sobre posição do PS em relação à proposta de Joacine Katar Moreira no sentido de devolver património nos museus portugueses aos países de origem das antigas colónias de Portugal, Ana Catarina Mendes disse não ter lido com rigor a ideia avançada e admitiu que a bancada socialista não a aprove.

"Mas isso não dá direito a ninguém a recorrer ao insulto e a afirmações xenófobas", respondeu.

Mais Notícias