Mais uma contradição. Chega critica PCP mas reúne Conselho Nacional presencialmente

Várias dezenas de dirigentes do Chega reunirão presencialmente em Sintra, no domingo em que o PCP encerrará em Loures o seu XXI Congresso Nacional

"Este é também o estado de emergência da cegueira ideológica porque, ao mesmo tempo que dizemos que vamos apoiar as perdas dos restaurantes no último ano, permitimos que os companheiros do PCP realizem o seu congresso em Loures, um dos concelhos onde a transmissão de covid-19 é mais elevada em Portugal".

Isto foi o que o líder e deputado único do Chega André Ventura afirmou sexta-feira no debate parlamentar que antecedeu a aprovação de um novo período quinzenal de estado de emergência (o segundo da segunda vaga da pandemia).

Ventura até ironizou com António Costa, nesse debate: "Senhor primeiro-ministro, talvez seja melhor ser o PCP a organizar o Natal este ano porque assim temos a certeza que há Natal em Portugal para todas as famílias." E classificou o estado de emergência como "um estado de engano aos portugueses".

O XXI congresso nacional do PCP terá lugar no próximo fim de semana, no Pavilhão Paz e Amizade, em Loures. Ora no domingo desse fim de semana, 29, o Chega também reunirá o seu mais importante órgão dirigente entre convenções, o Conselho Nacional. E irá fazê-lo num concelho vizinho de Loures, Sintra - segundo notícia avançada inicialmente pelo Sapo.

A reunião está convocada no site do Chega, revelando-se ali que terá lugar nos Bombeiros Voluntários de Sintra, a partir das 15h30.

Deverão estar na sala umas sessenta pessoas, no mínimo. O Conselho Nacional do Chega integra o presidente do partido e todos os membros da Direção Nacional, bem como os presidentes e vice-presidentes das seções regionais e distritais do partido, além de 30 membros efetivos.

A primeira convenção do Chega depois de Ventura ser eleito deputado realizou-se em setembro passado em Évora - e destacou-se por uma desobediência inicial generalizada à obrigação do uso de máscara ou às regras da distância social de segurança entre pessoas. Tanto assim foi que a GNR multou congressistas em plena convenção.

O PCP, pelo seu lado, já divulgou a lista das medidas preventivas que tomou.

Os delegados - cujo número total foi reduzido a metade do inicialmente previsto, sendo agora 600 - terão apenas cadeiras para se sentarem, sem mesas - um "privilégio" que será apenas dos órgãos executivos.

Não havendo desta vez convidados, os delegados ocuparão todo o pavilhão, inclusivamente as bancadas. Foram também definidos corredores unidirecionais e o uso de máscara será obrigatório a todo o tempo.

Jerónimo de Sousa já assegurou que, neste capítulo, o congresso será exemplar. Depois de uma audiência em Belém também disse que "o Presidente da República não obstaculizou nem levantou dúvidas ou dificuldades em relação à sua realização".

Mais Notícias