O que aconteceu no dia em que Marcelo nasceu

Na capa do DN de 12 de dezembro de 1948, dia do nascimento do presidente da República, que hoje faz 70 anos, destacava-se o mau tempo, o Natal dos Hospitais e a tensão entre EUA e França

No dia 12 de dezembro de 1948, data de nascimento de Marcelo Rebelo de Sousa, o principal destaque na primeira página do DN eram "as chuvas torrenciais", acompanhadas de "vento ciclónico", que se tinham abatido sobre Lisboa na véspera. E foi ainda debaixo de "chuva intensa" que, segundo contam os biógrafos, a mãe do atual Presidente da República, Maria das Neves, foi levada de carro ao hospital por um amigo do pai, Baltazar. Um amigo que tinha fama de não gostar nada de conduzir: Marcelo Caetano.

Setenta anos depois, as previsões meteorológicas para o dia 12 de dezembro são bastante mais brandas. De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, não são esperados mais do que alguns "chuviscos". Mesmo assim, olhando para a edição desse dia do DN é impossível não notar algumas coincidências.

Desde logo a referência, nessa primeira página, ao Natal dos Hospitais - uma iniciativa do DN que perdurou e que voltará a realizar-se amanhã, com a presença confirmada de Marcelo Rebelo de Sousa. Mas também a notícia de que o então Chefe do Estado, marechal Carmona, tinha inaugurado as "comunicações radiotelefónicas com Lourenço Marques", atual Maputo, onde o pai de Marcelo, Baltazar Rebelo de Sousa, viria a ser governador-geral 20 anos depois.

Por fim, na atualidade internacional, dava-se conta de uma crise nas relações entre Washington e Paris, descrita pela imprensa norte-americana como uma das piores de sempre. Setenta anos depois, os comentários do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre os protestos dos coletes amarelos em França viriam a provocar mais um - raro - momento de ​​​​​​​tensão entre os dois tradicionais aliados, com o executivo francês a ver-se forçado a pedir a Trump para não se imiscuir em questões internas do país.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG