Albano Nunes: "Capitalismo tem de ser derrubado pela força"

Para o histórico do PCP o afastamento dos princípios do marxismo-leninismo conduz inevitavelmente à degenerescência.

O dirigente histórico comunista Albano Nunes evocou a ação de Álvaro Cunhal e a experiência da União Soviética, num discurso, muito aplaudido, em que advertiu que o afastamento dos princípios do marxismo-leninismo conduz inevitavelmente à degenerescência.

Albano Nunes, que abandonou o Comité Central do PCP em 2016, perante o Congresso do PCP, em Loures, distrito de Lisboa, fez uma intervenção sobretudo destinada a sustentar a "vitalidade e utilidade do marxismo-leninismo".

"A perenidade dos seus princípios e teses fundamentais reside na sua natureza materialista e dialética inseparável da prática e que, por isso mesmo, constantemente se renova em função das novas realidades, conhecimentos e experiência, acompanhando e antecipando o movimento da sociedade", defendeu o comunista.

Albano Nunes citou depois Lenine para advertir que "sem teoria revolucionária não pode haver movimento revolucionário" e que "as ideias, quando apropriadas pelas massas, tornam-se uma força material poderosa".

"Como escreveu [Karl] Marx, a arma da crítica não pode substituir a crítica das armas. O poder material tem de ser derrubado por poder material", preconizou antes de se insurgir contra "as campanhas anticomunistas de revisão da história".

"Os grandes avanços do século XX estão indissociavelmente ligados à ação revolucionária das forças que têm o marxismo-leninismo como base teórica e ao papel da União Soviética e do campo socialista. As dramáticas derrotas do socialismo não apagam esta realidade. Trinta anos depois do triunfalismo sobre o fim da história, assiste-se ao aprofundamento da crise estrutural do capitalismo e a exigência da sua superação revolucionária", apontou.

O capitalismo, de acordo com o antigo dirigente estudantil da Universidade de Coimbra, "tem de ser derrubado pela força" e, pelo contrário, o afastamento dos princípios marxistas-leninistas "conduz à degenerescência e à derrota".

Neste contexto, Albano Nunes evocou o 100º aniversário do PCP, dizendo partido "pode orgulhar-se da sua contribuição para a confirmação da validade do marxismo-leninismo".

"Uma contribuição em que é justo destacar o papel do camarada Álvaro Cunhal, cujo nome ficará para sempre ligado à teoria e à prática da revolução de Abril", declarou, recebendo então uma prolongada salva de palmas.

Segundo Albano Nunes, Álvaro Cunhal "apontou ao povo português o caminho de uma revolução original, democrática e nacional, que o processo de revolução de Abril veio confirmar". "Uma notável contribuição do PCP para a ideologia da classe operária", acrescentou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG