Dois anos sem poder conduzir. Rooney apanhado com excesso de álcool

O antigo capitão da seleção inglesa foi hoje a tribunal

O antigo capitão da seleção de futebol da Inglaterra Wayne Rooney deu-se hoje como culpado da acusação de condução sob o efeito de álcool. O futebolista foi detido no dia 1 e acusado de conduzir com excesso de álcool pela polícia de Chesire, a norte do país. Hoje apresentou-se em tribunal, tendo ficado inibido de conduzir durante dois anos.

"Após a audiência de hoje no tribunal, quero publicamente pedir desculpa pelo meu imperdoável erro de conduzir acima do limite legal. Foi totalmente errado", referiu o jogador, numa declaração na sua página oficial.

O futebolista disse ainda que "aceita a decisão do tribunal" e que espera poder contribuir com o "serviço comunitário", aproveitando também para endereçar desculpas à família, treinador, presidente e a todos do Everton.

"Agora, quero pedir desculpa a todos os adeptos e a todos aqueles que sempre me seguiram e apoiaram a minha carreira", acrescentou.

O tribunal decidiu ainda que Rooney terá que cumprir 100 horas de trabalho comunitário não remunerado.

O avançado do Everton, de 31 anos, foi detido às primeiras horas do dia 1 depois de ser obrigado a parar na localidade de Wilmslow.

O atleta, que foi dispensado por José Mourinho no Manchester United, após 13 anos nos 'red devils', regressando ao Everton, clube que o formou, foi posto em liberdade sob fiança.

Rooney passou a noite num bar com o jogador de cricket Jack McIver, com quem tirou fotos, segundo os 'media' britânicos.

Em 23 de agosto, Wayne Rooney anunciou o fim da sua carreira internacional, sendo o melhor marcador da história da Inglaterra, com 53 golos em 119 jogos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG