Rei de Espanha volta a ser operado amanhã

O rei de Espanha, Juan Carlos, vai ser operado à anca esquerda na terça-feira em Madrid para substituir uma prótese, que estará infetada, informou a Casa Real.

"O rei Juan Carlos deverá ser alvo de uma intervenção para substituir a prótese. Essa operação terá lugar em Madrid" amanhã, informou Rafael Spotorno, chefe da Casa do Rei.

"Este período decorrerá com a normalidade institucional com que têm sido marcadas as intervenções anteriores dos últimos anos", disse, recordando as cinco operações de que o rei foi alvo nos últimos 18 meses.

Spotorno rejeitou rumores de que Juan Carlos tenha considerado abdicar ou se há a possibilidade de ser aplicada a inabilitação.

"Abdicação é um ato personalíssimo do rei. O rei em nenhum momento ponderou a abdicação. Sobre inabilitação depende de uma constatação das cortes que teriam que tomar essa decisão. Mas não se aplica neste caso porque o rei não está incapaz de cumprir as suas funções", afirmou.

Em conferência de imprensa, Spotorno explicou aos jornalistas no Palácio da Zarzuela que desde o início do mês de setembro que o rei Juan Carlos "começou a ter algumas dores, fundamentalmente na sua perna esquerda e na anca esquerda".

Devido a essa situação, explicou, a equipa médica que está a acompanhar o rei, incluindo Angel Villamor, responsável pelas operações à anca a que o rei já foi submetido e Miguel Fernandez Tapia, responsável dos serviços médicos da Casa Real, confirmou "um certo retrocesso no processo de recuperação" desde a operação anterior.

A Casa Real optou por pedir uma informação adicional a Miguel Cabanella, cirurgião espanhol que trabalha nos Estados Unidos e é considerado um dos melhores especialistas do mundo em cirurgia da anca.

Miguel Cabanella disse aos jornalistas que "tudo indica que se trata da existência de um foco infecioso na prótese ou na zona próximo à prótese da anca esquerda".

O especialista afirmou que há ainda que estudar como se fará a operação mas que, dependendo do processo escolhido, "o tempo de recuperação variará de oito semanas a seis meses".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG