Penélope Cruz e Almodóvar criticam ataques israelitas

Numa carta enviada à imprensa local, cerca de uma centena de nomes da cultura espanhola manifestaram o seu descontentamento perante as ações militares de Israel contra Gaza

O casal de atores Javier Bardem e Penélope Cruz e o realizador Pedro Almodóvar são algumas das figuras públicas a condenar a situação de conflito que já provocou mais de 1100 mortes.

No texto, os autores pedem à União Europeia que "condenem os bombardeamentos por terra, mar e ar sobre a população palestiniana na Faixa de Gaza. Gaza está a viver horrores nestes dias, a ser cercada e atacada (...) Os lares de palestinianos estão a ser destruídos, tem-lhes sido negada água, eletricidade e livres deslocações aos seus hospitais, escolas e campos enquanto a comunidade internacional não faz nada", cita o jornal britânico The Guardian.

Na carta reproduzida pela imprensa espanhola, caso da agência Europa Press, os artistas lamentam "os danos físicos, morais e psicológicos" causados aos residentes de Gaza e confirmam a tese do guia iraniano Ali Khamenei, considerando que "Israel está a cometer um genocídio".

O The Guardian aponta esta mensagem como "uma das mais estridentes" sobre o conflito, mencionando que, durante o Festival de Cinema em Jerusalém, ocorrido de 10 a 20 de julho, um grupo de realizadores israelitas escreveu também um comunicado, onde se lia "O diálogo deve ser estabelecido, deve haver reconhecimento do sofrimento do outro. Hoje, queremos direcionar as câmaras para o sofrimento dos residentes de Gaza, homens, mulheres e crianças mortas durante estes últimos dias".

Muitas têm sido as manifestações públicas, quer nas redes sociais, quer em comunicados, por parte de celebridades; o próprio Javier Bardem, um dos autores desta carta aberta, escreveu na semana passada um texto pessoal ao jornal espanhol El Diario, onde caraterizou o conflito de Gaza como "uma ocupação e exterminação contra pessoas sem meios, confinados a um pedaço mínimo de terra, sem água e onde hospitais, ambulâncias e crianças são alvos e alegados terroristas..." "Eu não consigo entender esta barbárie".

Também Madonna se mostrou solidária, publicando na página oficial do Facebook, a 23 de julho, uma foto cuja descrição continha "Estas flores são como as crianças inocentes em Gaza! (...) Quem tem o direito de as destruir? Ninguém! Cessar-fogo!", refere o o jornal New York Daily News.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG