Pamela Anderson e Assange? "Vamos ver quando ele estiver livre"

Atriz tem visitado o fundador da WikiLeaks na Embaixada do Equador em Londres

Pamela Anderson respondeu de forma tímida ao rumor de um possível romance com o fundador da WikiLeaks, Julian Assange, que está refugiado na embaixada do Equador em Londres, desde 2012, para evitar extradição para a Suécia, onde é acusado de crimes sexuais, que nega.

Em entrevista a um programa de televisão sueco, a atriz e agora ativista, principalmente no que toca aos direitos dos animais, disse que tem passado mais tempo com Assange do que com qualquer outro homem, mas não deu muitos detalhes sobre a relação.

Quando questionada sobre se a sua relação com o fundador da WikiLeaks era romântica, Anderson, de 49 anos, riu, de acordo com a Reuters. "Bem, ele está 'preso', isso dificultaria um pouco as coisas", diz.

"Vamos ver o que acontece quando ele estiver livre. Mas tenho passado mais tempo com ele do que qualquer outro homem, o que é muito estranho", afirmou Pamela Anderson.

Numa publicação no seu website, disse que Assange era uma das "suas pessoas preferidas".

"Ele deve ser o mais famoso e refugiado político do nosso tempo. Famoso por ser perseguido. E essa não é uma posição de poder, mas sim de vulnerabilidade. Estou preocupada. Julian [Assange] preocupa-se muito com o mundo e, por causa do seu trabalho, fez muitos inimigos poderosos no mundo", escreveu Pamela Anderson.

"Ele está a tentar libertar o mundo educando-o. É uma luta romântica e eu adoro-o por isso", acrescenta.

Os meios de comunicação britânicos divulgaram fotografias de Pamela na Embaixada do Equador, a levar comida, e a preparar-se para visitar Assange.

A Reuters diz ainda que é possível ouvir Pamela Anderson, na entrevista, dizer que Assange é "muito sexy".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG