Icon: Cindy Crawford revive guerra das top models

Ex-modelo de 49 anos é produtora de formato de ficção sobre a rivalidade entre a Elite e Ford, as principais agências dos anos 80.

Na década de 1980, uma top model que fosse digna desse título só podia pertencer a uma destas agências: a francesa Elite ou a norte-americana Ford. A rivalidade entre as duas empresas era imensa e qualquer transferência era vista como uma traição. É esta realidade, o lado menos glamoroso do mundo da moda, que Cindy Crawford quer retratar em Icon.

A ex-modelo de 49 anos está a produzir uma série de ficção para o canal norte-americano NBC a retratar esta guerra, avançou o site da revista Variety. Crawford viveu por dentro a rivalidade entre as duas agências - tendo sido ela própria agenciada pela Elite - mas não participará como atriz na série. Embora Icon retrate uma época em que nomes como Naomi Campbell, Linda Evangelista, Christie Brinkley, Brooke Shields, Elle Macpherson e Christy Turlington dominavam a publicidade, os editoriais de moda e as passerelles, todas as personagens serão ficcionais e... como se costuma dizer... não terão qualquer semelhança com a realidade.

Para se compreender a verdadeira dimensão do conflito entre a Ford Modeling Agency e a Elite Model Management é preciso referir um nome: Esmée Marshall. A norte-americana era, no início dos anos 80, uma das manequins mais bem-sucedidas dos Estados Unidos, uma verdadeira mina de ouro para John Casablancas, o playboy milionário fundador da Elite Model Management. Em 1980, Esmée troca a Elite pela Ford (empresa fundada por Eileen e Gerard W. Ford) e gera uma controvérsia pública sem precedentes, que ditará o tom de guerra entre as duas empresas nas décadas seguintes.

(leia mais na edição em papel e no epaper do DN)

Mais Notícias

Outras Notícias GMG