Atrizes querem lei para proteger filhos dos 'paparazzi'

As atrizes norte-americanas foram, esta quinta-feira, a tribunal para defender um projeto de lei que, a ser aprovado, proibirá os paparazzi de fotografarem os seus filhos sem autorização.

"Não quero um grupo de fotógrafos, sem modos nem respeito pela legislação vigente, a seguir-nos todos os dias e a traumatizar os meus filhos". Foi desta forma que Jennifer Garner explicou o seu apoio à Lei 606, apresentada em tribunal pelo democrata Kevin de León, que permitirá alargar o significado legal de assédio e instituirá que nenhum menor poder ser fotografado sem aprovação do seu tutor legal.

Habituada a vestir a pele de heroína no ecrã gigante, a atriz mostrou que também sabe lutar, fora do cinema, defendendo com "garras e unhas" a sua causa, chegando mesmo a emocionar-se na hora de falar dos três filhos, que tem com o também ator Ben Affleck.

Halle Berry foi a companhia de Garner no Tribunal Judicial da Califórnia, Estados Unidos, esta quinta-feira, explicando a sua situação. "Eles estão autorizados a gritar todo o tipo de obscenidades e a perguntar coisas inapropriadas a uma criança de cinco anos", afirmou a atriz , que está grávida do seu segundo filho, referindo-se a uma situação vivida recentemente no aeroporto de Los Angeles, com a sua filha Nahla.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG