Hospital critica partida "lamentável" da rádio

O diretor do hospital onde Kate Middleton esteve internada e onde uma enfermeira, que entretanto foi encontrada morta, foi enganada por dois animadores de rádio, censurou a brincadeira num dura carta. Os radialistas foram, entretanto, suspensos.

As circunstâncias da morte da enfermeira Jacintha Saldanha continuam por esclarecer, aguardando-se durante o fim de semana os resultados da autópsia, adiantou a polícia.

O hospital enviou entretanto uma carta à rádio australiana na qual considera "perfeitamente lamentável" a decisão da rádio de gravar e difundir a partida. "O Hospital King Edward VII cuida de pessoas doentes e foi extremamente absurdo os vossos apresentadores pensarem em mentir para chegar a um dos nossos pacientes, ainda mais chegarem mesmo a telefonar", diz a carta do diretor, Lord Glenarthur.

Os animadores da rádio australiana 2Day FM, Mel Greig e Michael Christian, telefonaram terça-feira para o hospital onde estava internada a duquesa de Cambridge, Kate Middleton, fazendo-se passar respetivamente pela rainha Isabel II e pelo príncipe Carlos, para obter informações sobre o estado de saúde da mulher do príncipe Guilherme, cuja gravidez tinha acabado de ser anunciada.

Kate Middleton estava internada devido a fortes enjoos associados à gravidez.

O que deveria ser uma partida degenerou em tragédia, quando na sexta-feira uma das enfermeiras que atendeu o telefone e se deixou enganar foi encontrada morta. Os jornais apontam um possível suicídio.

Face à vaga de indignação que se seguiu, a emissora de rádio anunciou na sua página no Facebook ter decidido que "os animadores não retomarão a sua emissão de rádio até nova ordem, em sinal de respeito pelo que pode ser qualificado como uma tragédia".

Inicialmente a estação tinha considerado o telefonema como "a maior partida real" da história e as primeiras reações dos ouvintes dividiram-se entre os que a encararam como uma simples brincadeira e os que se indignaram com a invasão da vida privada.

A família real desvalorizou o telefonema e o príncipe Carlos chegou mesmo a brincar com o assunto quando quinta-feira os jornalistas lhe perguntaram por novidades sobre Kate.

"Como é que sabem que não sou um animador de rádio?", respondeu aos repórteres.

Na conversa divulgada pela rádio, ouve-se a voz da enfermeira a responder àquela que considerava ser a rainha, antes de transferir a chamada para outra enfermeira, que informou a suposta rainha que Kate não tinha vomitado e que se encontrava a dormir.

Na sexta-feira, a enfermeira, mãe de duas crianças, foi encontrada morta.

Vários media britânicos apresentam a morte como um possível suicídio, informação que não foi confirmada nem pela polícia nem pelo hospital.

Na sequência do incidente, o diretor do hospital King Edward VII, John Lofthouse, adiantou que o pessoal do hospital estava a ajudar Jacinda Saldanha a ultrapassar o sucedido.

A rádio australiana declarou-se "profundamente triste com a notícia" e dirigiu condolências à família.

Os animadores Mel Greig e Michael Christian "estão em estado de choque", acrescentou a emissora.

Mais de 13 mil pessoas publicaram mensagens na página Facebook da 2Day FM, muitas pedindo a demissão dos dois locutores.

O príncipe Guilherme e Kate manifestaram-se "profundamente tristes" com a morte da enfermeira, enquanto a primeira-ministra australiana Julia Gillard deplorou a "terrível tragédia".

Esta não é a primeira vez que a rádio está envolta em polémica. Segundo o The Daily Telegraph, a rádio foi condenada em 2009 pelo organismo regulador depois de ter posto uma jovem de 14 anos ligada a um detetor de mentiras a admitir ter sido violada aos 12 anos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG