Harrison Ford correu "risco de vida" nas filmagens de "Star Wars"

A Foodles Production, que pertence à Disney, declarou-se culpada em tribunal pelo acidente com o ator norte-americano ocorrido em 2014

"Poderia ter causado a morte a qualquer pessoa", assumiu o representante da Foodles Production em tribunal. Andrew Marshall referia-se ao acidente ocorrido em janeiro de 2014 nos Pinewood Studios, em Londres, Inglaterra, com Harrison Ford, admitindo que o intérprete correu "risco de vida".

Durante as gravações do filme A Guerra das Estrelas: O Despertar da Força, o ator norte-americano de 74 anos deslocou um tornozelo e partiu uma perna depois de ter ficado preso numa porta hidráulica que se fechou "à velocidade da luz", explicou o próprio semanas mais tarde. De acordo com a Health and Safety Executive (HSE), agência britânica que fiscaliza as normas de segurança do trabalho e que abriu o processo em tribunal, a potência dessa porta era equivalente ao peso de um carro pequeno.

"A Foodles Production reconhece que falhou na proteção da sua equipa. A indústria cinematográfica britânica tem uma reputação mundial e é reconhecida pelos seus filmes excecionais. Gerenciar os riscos no set de uma maneira sensata e proporcional para todos, independentemente do status de celebridade, é vital para os proteger tanto dentro do ecrã quanto fora dele e, assim, mantermos a reputação da nossa indústria cinematográfica", escreve a HSE em comunicado.

A Foodles Production conhecerá a sentença no próximo dia 22 de agosto.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG